Veto de Trump é como apagar a história, diz líder uruguaio

Veto de Trump é como apagar a história, diz líder uruguaio

Tabaré Vazquez lamenta decreto do presidente dos EUA contra cidadãos de países de maioria muçulmana e planos de erguer muro na fronteira. Em entrevista à DW, presidente também fala sobre situação política da Venezuela.

Em entrevista exclusiva à Deutsche Welle, o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, criticou as políticas migratórias do presidente americano, Donald Trump, qualificando de “triste” e “terrível” o veto imposto a cidadãos de sete países de maioria muçulmana.

O veto de Trump é como “apagar de repente a própria história”, disse Vázquez em Berlim nesta terça-feira (07/02). “É um retrocesso para um país de imigrantes como os Estados Unidos”, considerou, em alusão ao papel desempenhado pela imigração nos EUA.

O líder uruguaio também criticou o plano do presidente americano de construir um muro na fronteira com o México para conter a imigração ilegal. O Uruguai “nunca vai erguer murros”, pois o que convém é “fazer pontes”, afirmou.

Vázquez também se manifestou sobre a situação política na Venezuela, afirmando que o país “tem três poderes, e os três poderes estão funcionando”. “Talvez não seja a democracia com que estamos acostumados, por exemplo, no meu país”, disse à Deutsche Welle.

bol

08/02/2017