Tiroteio em escola deixa ao menos oito feridos em Grasse, na França

Suspeito estava fortemente armado e foi preso. Todos os colégios foram fechados

Um tiroteio em uma escola na pequena cidade de Grasse, no Sul da França, deixou pelo menos oito feridos, incluindo o diretor, informou o porta-voz do Ministério do Interior nesta quinta-feira. Um jovem de 17 anos — armado com um rifle, duas armas de mão e duas granadas — foi preso após abrir fogo no colégio Alexis de Tocqueville, nos Alpes Marítimos. O episódio ocorre momentos depois de uma pessoa ficar ferida com a explosão de uma carta-bomba na sede do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Paris, num caso que está sendo tratado como terrorista.

— O indivíduo não parece ser conhecido pela polícia — disse a fonte.

De acordo com o jornal “‘Libération”, o suspeito preso é um aluno da escola. Fontes próximas à investigação disseram que ele teria procurado na internet vídeos de assassinatos em massa.

As informações sobre o número de feridos estão desencontradas. Fontes locais citam três, entre elas o diretor e dois jovens.

Depois dos ataques desta quinta-feira, as autoridades francesas emitiram alerta de terrorismo em todo o país. A prefeitura de Grasse orientou os moradores a permanecerem em casa, e todas as escolas foram fechadas.

Uma segunda fonte disse que dois estudantes haviam disparado contra o diretor da escola, que ficou ferido, acrescentando que os suspeitos não pareciam militantes.

— Um dos dois foi preso e o segundo fugiu, houve pânico e os estudantes se refugiaram no supermercado — disse a segunda fonte.

A polícia, no entanto, não confirmou que um suspeito estivesse foragido. Em sua conta no Twitter, a ministra da Educação, Najat Vallaud-Belkacem, informou que está indo a Grasse.

A seis semanas das eleições presidenciais, a França permanece em estado de emergência depois de uma série de ataques extremistas islâmicos mortais nos últimos dois anos, incluindo o de Paris e o de Nice, a 40 quilômetros de Grasse.

Na quarta-feira, o grupo militante grego Conspiração das Células de Fogo reivindicou a responsabilidade pelo envio de um pacote com explosivo ao ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schaeuble, na quarta-feira.

o globo
16/03/2017