Suspeita de assassinato de família em São Gonçalo coloca a culpa no próprio filho

Suspeita de assassinato de família em São Gonçalo coloca a culpa no próprio filho

Simone Gonçalves de Resende, de 46 anos, suspeita de ser a mandante do assassinato da própria irmã, Soraya Resende, de 37, do cunhado, o diretor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Wagner Salgado, de 42, e da sobrinha, filha do casal, Geovanna Resende, de 10, negou, nesta quarta-feira, ser a mentora do crime em depoimento à Polícia Civil. Ela culpa um dos filhos, Matheus Resende Khalil, de 23 anos, que já está preso. Simone foi capturada por agentes da 124ª DP (Saquarema), nessa terça-feira, em Mimoso do Sul, no Espírito Santo.

— Ela surpreendeu a todos com essa versão, jogando a culpa no filho. Esperávamos que ela negasse, mas não que culpasse o filho — conta o delegado assistente da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, Marcos Amim, sem dar mais detalhes sobre o depoimento.

Em depoimento, Simone disse que não participou do planejamento dos assassinatos e que Matheus fez tudo sozinho. Ela ainda contou que, antes de sair de casa no dia do crime, o filho disse que mataria a tia, mas que não acreditou nele.

A Polícia Civil vai fazer uma acareação entre Simone e Matheus para esclarecer as participações no crime.

A família foi morta em casa no dia 17 de fevereiro. Segundo as investigações, Simone teria mandado matar os parentes porque não queria dividir uma herança de R$ 7 milhões com a irmã.

Os filhos de Sinome, os gêmeos Matheus e Lucas, estão presos desde o dia 23 de fevereiro. Matheus prestou depoimento na delegacia de Homicídios e confessou ter acompanhado os atiradores que teiam sido contratados pela mãe para matar a irmã e sua família no apartamento onde eles moravam, no bairro Trindade. Matheus também confessou ter baleado a prima de apenas 10 anos.

Já Lucas se apresentou à polícia na manhã daquele mesmo dia. Ele é suspeito de ter vendido um carro para financiar o crime.

Outros suspeito também já haviam sido preso: Diego Moreira da Cunha, de 23 anos, estava em Saquarema, na Região dos Lagos, quando foi capturado por agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo.

Gabriel Botrel de Araújo Miranda, de 19 anos, apontado pela polícia como o principal atirador, ainda está sendo procurado.

extra

15/03/2017