Semtabes é parceira na inclusão de deficientes no mercado

semtabesksksksksk

Secretaria de Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes), por meio da Diretoria de Trabalho e Emprego, é parceira do projeto “Construindo um Social mais Responsável” da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL).

O projeto pretende qualificar profissionalmente 130 portadores de necessidades especiais no segmento da Construção Civil e inserir esse público no mercado de trabalho, posteriormente, por meio da intermediação do Sine da Prefeitura de Maceió.

Entre os cursos ofertados estão: eletricista instalador de baixa tensão, encanador instalador, almoxarife de obras, operador de betoneira, operador de guincho, operador de grua, pedreiro de alvenaria estrutural, aplicador de revestimento cerâmico, pintor de obras, gesseiro, impermeabilização de estruturas e técnico em Segurança do Trabalho.

São parceiros deste projeto: o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), a Superintendência do Trabalho e Emprego de Alagoas (SRTE-AL), a Semtabes – por meio do SINE Maceió e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Os cursos têm duração de dois anos e os participantes terão o acúmulo do Benefício da Prestação Continuada (BPC), receberão meio salário mínimo, passagem e registro como Aprendiz. As aulas começam no dia 02 de maio.

Segundo o auditor do Ministério do Trabalho e da Previdência Social, Leandro Carvalho, “as pessoas selecionadas para participar do Projeto não terão a suspensão do Benefício da Prestação Continuada (BPC). O benefício somente é suspenso quando a pessoa estiver trabalhando, e no caso de demissão ele volta a receber”, afirmou o auditor.

Para participar é necessário ter idade mínima de 18 anos e escolaridade mínima de 6º ano (ensino fundamental), com exceção do curso técnico em Segurança no Trabalho, onde a escolaridade mínima exigida é do ensino médio completo ou em curso.

O benefício desse projeto vai desde o atendimento às exigências do Ministério do Trabalho até o aumento da qualificação profissional da mão de obra PCD nas empresas e na sociedade. É uma iniciativa que visa oferecer a capacitação profissional e permitir que mais pessoas com deficiência possam ter a oportunidade de trabalho e emprego.

O diretor de Trabalho e Emprego, Ricardo Lessa, ressalta a importância de inserir esse público não só no mercado de trabalho, mas também na sociedade. “Incluir pessoas com deficiência no mercado de trabalho é um dos maiores desafios de quem intermedeia a mão-de-obra. Essa inclusão contribui de forma significativa para a construção de uma sociedade mais inclusiva onde todas as pessoas possam ter a igualdade nas oportunidades que o mercado oferece”.

Os interessados em participar dos cursos devem procurar o Sine Maceió, que fica ao lado da CBTU, no Centro, no horário de 8h às 14h, de segunda a sexta, munidos de comprovante de residência, CPF, RG e carteira de trabalho, para cadastrar o currículo e aguardar o encaminhamento para a seleção. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3315-6205.

Sara Thalassa – Ascom Semtabes