Quem quer churrasco de melancia?, provoca Preta Gil ao receber a irmã, Bela Gil, no bloco

Vestida de Chacrete, a cantora arrastou uma multidão no Centro

Às 11h em ponto, Preta Gil deu largada no Bloco da Preta, que desfila na Rua Primeiro de Março, no Centro. Irreverente, ao receber a irmã, Bela Gil, em cima do trio, a cantora provocou o público.

– Quem quer churrasco de melancia? – perguntou Preta, em referência a uma receita da irmã que gerou polêmica nas redes sociais. – Tenho muito orgulho dela.

No ano do centenário de Chacrinha, a cantora está vestida de Chacrete para homenagear o Velho Guerreiro. Milhares de foliões se aglomeram para curtir o cortejo. Preta abriu o desfile com o hit “Eu quero e você quer”.

Em entrevista nos bastidores, Preta contou que, este ano, o bloco cresce em estrutura e vai contar com um apoio logístico maior da prefeitura:

– Vamos ter mais policiais na rua, torres de observação, a guarda municipal mais ativa. Ano passado reclamei bastante, mas eles entenderam como é importante ter mais a segurança. O empenho deles é muito forte, a vontade de colaborar é grande.

Radiante, a cantora disse que está cada vez com mais vontade de cantar:

– Vou cantar por horas e horas, até a Riotur mandar eu parar. Eu sua uma entusiasta da diversidade, ecletismo sempre. Meu bloco sempre foi muito baiano, é uma ponte entre Salvador e o Rio.

Vestida de Chacrete, com fantasia confeccionada por Michelly Xis, que também faz as roupas de carnaval de Ivete Sangalo, Preta contou que sempre quis ser dançarina do Chacrinha.

– Meu pai e minha mãe contam que eu queria ser chacrete desde os 5 anos. E não deixei de ser, sou a pretete, com a roupa dessa mulher incriível que conseguiur traduzir a chacrete para os dias atuais, com muito brilho, muita pluma.

Para ela, Chacrinha sempre foi um mestre. E o centenário é apenas um pretexto para homenageá-lo:

– Chacrinha é o grande tema da minha vida. Me ensinou desde muito cedo a ser múltipla, a olhar para todos. Sou uma pessoa diversa na minha essência, no meu caráter pessoal e musical.

Por fim, Preta falou sobre a responsabilidade de comandar um bloco que reúne tanta gente no Centro do Rio.

– Arrastar um milhão de pessoas na rua só para te ver é uma responsabilidade muito grande. Gratidão é o meu nome. Não duirmo, fico nervosa, com frio na barrigas, mas é um grande choque de amor. Convido a todos para, um dia, vir ao carnaval de rua do rio e ver como a rua é do povo.

Musa do bloco, a atriz Letícia Lima destacou a energia dos foliões do Bloco da Preta:

– O público da Preta é muito amoroso, tem uma energia muito boa. Por isso, vem com esses corações na roupa. No Bloco da Preta, se tiver briga ela chama atenção na hora. É bem amor mesmo

Vestida de arco-íris, Carolina Dickman, madrinha do bloco, foi uma das últimas a chegar e não escondeu o nervosismo.

– Quase tive um infarto – contou.

O bloco já tem foliões cativos, que não medem esforços para acompanhá-lo. É o caso do administrador Felisberto Soares, que mora em Jacarepaguá, mas dormiu na casa do tio, em Copacabana, para chegar cedo e garantir uma vaga pertinho do trio elétrico.

– Segunda vez que venho e nunca passei perrengue. Gosto muito, e o principal motivo é a inclusão de todo mundo, a felicidade, encontramos pessoas muito boas – afirma.

Com uma peruca cor de rosa choque na cabeça, Jessica dos Santos foi ao bloco pela primeira vez e não se arrependeu:

– Vale a pena enfrentar esse calor para assistir a Preta. Só não gosto que fiquem me empurrando aqui na corda – disse, enquanto a equipe de vigilância abria caminho para o bloco passar.

Preta esteve acompanhada ainda pelos musos André Nicolau, David Brazil, Fernando Torquatto, Hugo Gloss e Thiago Fortes, e pela musa Thaynara OG, além do Rei Momo Gominho e da Rainha de Bateria Lia Khey. A cantora Ludmilla também marcou presença.

o globo
19/02/2017