Primeira entrega de sementes de 2016 beneficia 520 famílias de Campo Alegre

Famílias carentes e agricultores familiares farão plantio de feijão de corda em área cedida pela usina Sinimbu

8b0ee59f847d6688f53f0c83b3fcc11b_L
Sementes distribuídas em Luziápolis serão plantadas em uma área de 150 hectares cedida pela Usina Sinimbu. Petrônio Viana

Cerca de 520 famílias de baixa renda e agricultores familiares do distrito de Luziápolis, no município de Campo Alegre, foram beneficiados nesta quarta-feira (13) pela primeira entrega de sementes realizada pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) em 2016. A distribuição de 400 quilos de sementes de feijão de corda faz parte do programa Barriga Cheia, executado pelo Governo do Estado, em parceria com usinas de cana de açúcar e as prefeituras alagoanas.

 

O agricultor Walter Luiz de Souza, de 67 anos, comemorou a chegada das sementes com a certeza de superação de mais um período de entressafra da cana de açúcar na região. “Eu quero plantar a semente e colher para todos nós. Na minha casa, moram seis pessoas. Tenho ainda quatro filhos, alguns netos e bisnetos. Esse feijão vai ser para a família toda, para quem quiser. Eu não planto só para mim, planto para quem quiser”, disse Seu Walter, que nasceu em Ouro Branco, no Sertão alagoano, mas que adotou o distrito de Luziápolis como lar há 30 anos.

 

As sementes distribuídas em Luziápolis serão plantadas em uma área de 150 hectares cedida pela Usina Sinimbu. O empresário Fábio Brito, diretor da unidade industrial, elogiou a iniciativa do Governo do Estado em buscar parcerias com a iniciativa privada.

 

“Essa ação traz resultados muito positivos para os trabalhadores rurais e para a empresa, que renova suas terras para o plantio da cana e ajuda a fortalecer a economia de toda a região. Estamos à disposição do Governo do Estado para outras parcerias nesse sentido”, afirmou Brito.

 

Em 2015, o programa Barriga Cheia beneficiou mais de duas mil famílias com a distribuição das sementes de feijão. A qualidade das sementes, elogiada pelos produtores rurais no ano passado, foi mantida em 2016, trazendo a expectativa de uma safra ainda maior, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Campo Alegre, Edvânio Martins. “Onde essa semente cai, ela brota. O povo da cidade está animado para a colheita deste ano. Estão nos procurando para garantir as sementes e devemos plantar até o final do mês, quando a prefeitura tiver preparado todo o terreno”, disse.

 

A deputada estadual Jó Pereira, que representou a prefeita Pauline Pereira, impossibilitada de comparecer à cerimônia por motivos de saúde, destacou a importância dessa parceria no auxílio ao agricultor familiar.

 

“Isso aproxima o Governo de uma das áreas que serve de alicerce para economia alagoana, que é a agricultura. E hoje, especialmente, estamos aqui em Campo Alegre entregando a semente que vai possibilitar o alimento para essas famílias e fazer girar a economia do município. O Barriga Cheia é um programa que, com muita maestria, o governador Renan Filho e o secretário Álvaro Vasconcelos vêm mantendo, aproximando-se do município, entregando a semente, acompanhando a colheita. Isso valoriza o nosso agricultor”, observou a deputada.

 

De acordo com o secretário da Agricultura, Álvaro Vasconcelos, já estão confirmadas as participações, no programa Barriga Cheia, dos municípios de Campo Alegre, Teotônio Vilela, Junqueiro e Maceió. “Estamos aguardando as confirmações das prefeituras de Atalaia e Murici para ampliar o programa. No total, vamos distribuir dois mil quilos de sementes de feijão de corda para beneficiar famílias de baixa renda e os trabalhadores rurais que estão sem ocupação devido à entressafra da cana”, explicou o secretário.

 

“A ideia do governador Renan Filho é oferecer, por meio do programa Barriga Cheia, uma fonte de renda e de alimento para manutenção dessas famílias no período da entressafra. Em 2015, tivemos um sucesso muito grande com essa aça. Em 2016, fizemos um investimento maior e pretendemos ampliar a área plantada e o número de beneficiados, tomando os cuidados necessários para que o pequeno agricultor tenha acesso às melhores sementes do mercado. Daqui a pouco tempo, estaremos aqui na região para comemorar uma grande colheita”, disse Vasconcelos.

Petrônio Viana – Agência Alagoas