Mulher é presa após confessar que esfaqueou e enterrou marido em AL

Segundo o delegado, Maria José disse que cometeu homicídio por ciúmes. Crime aconteceu na casa deles em Murici; corpo foi enterrado no quintal.

Um deficiente físico que estava desaparecido há cinco dias teve o corpo encontrado enterrado no quintal da própria casa, localizada na cidade de Murici, Zona da Mata de Alagoas. De acordo com a polícia, a esposa dele confessou ter matado o marido por ciúmes.

José Severo dos Santos foi encontrado na noite de quarta-feira (22). Maria José disse que matou o companheiro, conhecido como Zé da Cadeira, enquanto ele dormia, porque suspeitava que ele estava se relacionando com outra mulher.

A informação inicial era de que a mulher teria esquartejado o marido, mas de acordo com o delegado Caio Rodrigues, o corpo não chegou a ser desmembrado, mas apresentava lesões profundas causadas por um facão.

“Ela disse que a vítima ainda chegou a acordar, mas que empurrou o lençol em sua boca para não fazer barulho, terminou de matar, enrolou o corpo com o lençol, levou até o quintal e enterrou. Depois cobriu com cimento. Em seguida, comprou tinta e pintou o quarto para retirar as marcas de sangue. Ela não chegou a desmembrar o corpo, mas o que podemos observar é que ele tinha lesões profundas”, disse o delegado.

Ela disse, na polícia, que agiu sozinha, mas o delegado informou que está trabalhando, agora, para confirmar se ciúmes esta foi mesmo a motivação e se não houve a participação de mais alguém na execução e na ocultação do corpo. O casal estava junto há 17 anos e tinha um filho de 14 anos.

“Nós conseguimos retirar o corpo com a ajuda do Corpo de Bombeiros. Antes do marido ser encontrado, ela chegou a registrar um Boletim de Ocorrência sobre o desaparecimento dele, mas a história não se sustentou e ela acabou confessando dias depois”, reforça o delegado.

A prisão preventiva de Maria José já foi solicitada e ela está detida na delegacia de Murici. Um facão utilizado no crime foi encontrado dentro da casa do casal, assim como a cadeira de rodas da vítima, que estava ao lado de onde ele foi enterrado.

“Ela está presa por homicídio qualificado e ocultação de cadáver”, finaliza o delegado Caio Rodrigues.

g1

23/02/2017