Meta de Renan é ficar longe de Moro

Semanas atrás, Renan Calheiros reuniu sua tropa de assessores e decretou: a prioridade deles, a partir de agora, é a eleição em Alagoas ano que vem, que pode ser bem complicada.

Renan sabe do risco de naufragar antes mesmo de chegar lá. Ele é tido como nome certo a ser atingido pelo tsunami da Lava Jato, que começará a invadir a praia de muitos caciques políticos depois do Carnaval.

Mas, se sobreviver, enfrentará em Alagoas uma parada dura, diferente de seus passeios em pleitos passados. Já sentiu a mudança de ares nas eleições municipais, em que seus candidatos foram derrotados nas maiores cidades alagoanos, inclusive em Arapiraca, onde reinava há tempos.

Renan tem dois objetivos: reeleger o governador Renan Filho e renovar o mandato com a conquista de uma das duas vagas a serem disputadas para o Senado. A cadeira que ele ocupa hoje e a do senador Benedito Lira, outro enrolado na Lava Jato.

Sua intenção é fazer uma dobradinha com o ex-governador Teotônio Vilela Filho, que ampliou seu cacife com a reeleição do tucano Rui Palmeira como prefeito de Maceió.

Mas nem isso é tranquilo.

Cenas do próximo capítulo em breve …

Por Andrei Meireles- Os divergentes