IMA apoia iniciativa que promete limpar línguas sujas na orla de Maceió

Microestação de tratamento está em fase de teste e será monitorada semanalmente pelo órgão

6c39066c758066595ea0d8d8c07e632a_L
Equipamento, em fase de teste, pode tratar até mil litros por hora de resíduos antes que eles cheguem ao marAscom/IMA

Há um mês, uma microestação de tratamento de água foi instalada na orla da Ponta Verde, em um dos pontos mais críticos em termos de poluição, localizado em frente à Avenida Deputado José Lages, com a proposta de resolver parte dos problemas de língua suja nas praias urbanas de Maceió. Uma equipe do Instituto do Meio Ambiente (IMA) esteve no local, na manhã desta sexta-feira (1º), para acompanhar o funcionamento da estrutura.

 IMA_LINGUAS_SUJAS_2

A Prisco Ambiental, empresa especializada no tratamento sustentável de águas residuais e responsável pela microestação, fez todo o trabalho de instalação com autorização e apoio do IMA. O empreendimento recebeu licença ambiental em março deste ano e garante que o equipamento, que está em fase de teste, pode tratar até mil litros por hora de resíduos antes que eles cheguem ao mar.

Segundo Matheus Kühn, proprietário da Prisco, foi feita a instalação de uma bomba direto na rede pluvial da área, o que permitirá o bombeamento da água suja para a estação de tratamento. “Dosaremos alguns produtos químicos que vão separar a sujeira da água limpa. Após a desinfecção, a água passará por um filtro para, posteriormente, ser lançada de volta na praia”, explicou.

IMA_LINGUAS_SUJAS_1

De acordo com Gustavo Lopes, diretor-presidente do órgão ambiental, as microestações são uma medida paliativa para o problema. “Abraçamos a ideia porque é um passo para melhoramos a situação de nossas praias, mas sabemos que o problema só pode ser resolvido com o combate a ligações de esgotos nas galerias de águas pluviais”, afirmou o diretor.

Semanalmente, o laboratório do IMA fará a coleta da água tratada pela microestação. “Iremos monitorar a qualidade das amostras para ver se o sistema é eficiente pra esse tipo de drenagem”, disse Gustavo Lopes.

 IMA_LINGUAS_SUJAS_3

O diretor afirmou ainda que a ideia é instalar uma microestação em todas as línguas sujas da orla de Maceió. “Queremos que alagoanos e turistas voltem a curtir nossas praias urbanas sem preocupações”, comentou o diretor, durante visita à estação de tratamento.

Matheus Kühn assegurou que as microestações garantirão a balneabilidade da orla durante a maior parte do ano. “A parceria com o Governo do Estado só irá fortalecer a iniciativa, contribuindo com a sustentabilidade e desenvolvimento socioambiental do Estado”, disse.

Elayne Pontual – Agência Alagoas