Galo da Madrugada chega ao 40º desfile promovendo encontros e arrastando multidão

Público celebrou a chegada do carnaval e vibrou com duetos feitos por artistas convidados do bloco, que homenagearam Alceu Valença e Jota Michiles.

Sob um sol escaldante neste sábado (25), milhares de pessoas saudaram o carnaval marcando presença no tradicional Galo Madrugada, bloco recifense que desfila há 40 anos pelas ruas da capital pernambucana. Desde o início do desfile, às 9h, a emoção proporcionada pelo frevo agita não somente quem está no meio da multidão, mas também quem faz a festa.

“São 40 anos de muita luta, de defesa da cultura pernambucana. Hoje em dia, há blocos que se espelham no Galo da Madrugada em 11 estados do país”, comenta o presidente do bloco, Rômulo Menezes, orgulhoso do papel que o Galo representa para Pernambuco.

Mesmo para quem vem de fora, a emoção de participar da do bloco é difícil de descrever. “Eu já me sinto pernambucana e amo essa festa. Meu show já virou uma tradição e não tem uma única vez que eu não me sinta alegre em fazer parte disso”, aponta a cantora paraense Gaby Amarantos, que fez dueto com Joelma.

Paraenses apaixonadas declaradamente pelo carnaval pernambucana, as duas cantaram o hit ‘Ex-my Love’, o “melô da Joelma”, segundo Amarantos.

Tradição do desfile, os duetos emocionaram quem estava na Praça Sérgio Loreto, local da sede do Galo da Madrugada. Homenageando Alceu Valença, as cantoras Lucy Alves e Fafá de Belém levantaram os foliões ao cantarem “Anunciação”. Os cantores Tony Garrido e Marrom Brasileiro também levantaram a multidão ao som de frevos que fizeram “a cidade tremer e a galera suar”.

A emoção tomou conta do público quando o cantor Alceu Valença, homenageado da festa junto com o compositor Jota Michiles, entoou clássicos do carnaval como “Voltei Recife” e o “Hino do Elefante”. Não foi preciso nem mesmo o acompanhamento dos músicos para que o público entoasse as canções durante o dueto de Alceu com o cantor Silvério Pessoa.

“Alceu tem uma influência muito grande no meu trabalho. Os homenageados deste ano foram muito bem escolhidos e pra mim é uma honra participar e poder cantar com ele”, explica Silvério.

Quem também celebra a homenagem é o compositor Jota Michiles, que completa 50 anos de carreira e se sente lisonjeado pelo tributo. “Estar no Galo da Madrugada é uma emoção enorme pra mim. A dimensão que esse bloco tomou é enorme e a alegria em participar é planetária”, brinca. Além de Alceu e Michiles, o Galo também homenageia o centenário do “Velho Guerreiro” Chacrinha, através de alegorias que relembram cassinos.

Para marcar a homenagem aos artistas, alegorias e fantasias fazem alusões a músicas como “Roda e Avisa”, de Michiles, e “Bicho Maluco Beleza”, de Alceu. Bailarinos fantasiados de “diabo louro” e de “vampira” também desfilaram pelas ruas do Recife e fortaleceram a homenagem prestada às personalidades.

g1

26/02/2017