EUA prendem centenas de imigrantes, após ordem executiva de Trump

EUA prendem centenas de imigrantes, após ordem executiva de Trump

Autoridades de imigração americanas prenderam centenas de imigrantes sem documentos em pelo menos seis estados ao longo desta semana. As detenções foram fruto de uma série de ações que marcaram a primeira aplicação em grande escala da ordem executiva do presidente Donald Trump, assinada em 26 de janeiro, destinada a reprimir e deportar os estimados 11 milhões de imigrantes ilegais no país.

Trump assinou o documento seis dias após a sua posse e prometeu deportar até 3 milhões de imigrantes irregulares com antecedentes criminais, mas também fez uma mudança na política do governo Obama, que priorizava criminosos condenados. O novo presidente ampliou substancialmente o escopo de quem o Departamento de Segurança Interna pode alcançar, para incluir aqueles que cometeram delitos menores ou até sem condenações.

Funcionários da imigração confirmaram que agentes invadiram casas e locais de trabalho esta semana em Atlanta, Chicago, Nova York, Los Angeles, Carolina do Norte e Carolina do Sul, reunindo centenas de pessoas. Entretanto, ainda não foram divulgados os números oficiais da ação.

Gillian Christensen, porta-voz do Departamento de Segurança Interna, que supervisiona os departamentos de imigração e alfândega , disse que os trabalhos faziam parte de ações de “imigração” de rotina. O órgão não gosta do termo “invasões” e prefere dizer que as autoridades estão conduzindo “ações de execução direcionadas”.

Ela disse, ainda, que a ofensiva iniciada na última segunda-feira e terminada na sexta-feira prendeu imigrantes sem documentos provenientes de 12 países latino-americanos.

– Estamos falando de pessoas que ameaçam a segurança pública ou a integridade do sistema de imigração – disse Gillian, alegando que a maioria dos presos eram criminosos sérios, incluindo alguns que haviam sido condenados por assassinato e violência doméstica.

Mas ativistas que combatem a repressão a imigrantes afirmam que as prisões não se resumiram a criminosos.

– Esta é claramente a primeira onda de ataques [a imigrantes] sob o governo Trump, e sabemos que não vai ser a única – disse Cristina Jimenez, diretora-executiva da United We Dream, uma organização de jovens imigrantes.

Agentes de imigração em Los Angeles, no estado da Califórnia, detiveram dezenas de pessoas em casa ou a caminho do trabalho, segundo ativistas. O diretor de imigração para a área de Los Angeles, David Marin, confirmou nesta sexta-feira que 160 pessoas foram presas. Segundo ele, 75% delas tinham condenação por crime. Os demais realizaram pequenos delitos ou estavam ilegalmente no país. Entre as pessoas presas em Los Angeles, 37 foram deportadas para o México.

o globo
11/02/2017