Estudante relata casos de bullying na escola durante palestra da Esmal

Ação, realizada na Escola Estadual Alfredo Gaspar de Mendonça, deu início ao calendário de atividades do Programa Cidadania e Justiça na Escola para 2016

c602ca68f7c808bfbe67758e5db25e97
Juiz André Avancini falou sobre o tema para cerca de 150 estudantes. Foto: Anderson Moreira

“Até mesmo em minha sala, consigo identificar a prática do bullying e, na escola em geral, também. Muitas crianças e jovens sofrem com ele e o praticam. É como uma corrente: você é vítima e, se achar correto, vai fazer o mesmo com alguém mais fraco do que você. No final, quem for mais fraco vai receber a carga de todo mundo”, compartilhou o estudante Wendell Taffarel, de 17 anos, durante palestra sobre bullying e violência na escola, promovida pela Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal), nesta segunda-feira (25), na Escola Estadual Alfredo Gaspar de Mendonça, na parte alta de Maceió.

A instituição de ensino, localizada no conjunto Eustáquio Gomes, foi a primeira, entre as 24 escolhidas neste ano, a ser beneficiada com ação do Programa Cidadania e Justiça na Escola (PCJE), da Esmal. Cerca de 150 estudantes esclareceram suas dúvidas sobre o tema com o juiz André Avancini, titular da Comarca de São Miguel dos Campos, que ministrou a palestra.

Ainda de acordo com Wendell, que cursa o 3º ano do ensino médio, a ação serviu para conscientizar os estudantes sobre a ilegalidade do bullying e deve ser estendida para outras pessoas “A palestra foi boa porque deixou claro, para quem pratica e acha que o bullying é uma brincadeira inofensiva, que esta é uma prática ilegal”, declarou.

Magistrado alerta sobre a ilegalidade da prática e orienta vítimas a buscar ajuda

Na oportunidade, foi feita uma reflexão sobre o tema, mostrando o conceito de bullying, suas formas mais comuns e como as pessoas devem proceder caso sejam vítimas do problema, seja notificando a escola ou dando conhecimento à família. “A base que nós tivemos foi um estudo sobre o bullying, incluindo a legislação que existe sobre o tema (Lei n° 13.185/2015). É importante coibir esta prática, que pode trazer problemas muito grandes para quem sofre com ela”, alertou o juiz André Avancini.

O magistrado contou ainda que se preocupou, durante a preparação para a palestra, com a forma que abordaria o assunto. “Busquei, efetivamente, trazer um linguajar mais próximo dos estudantes, tanto para facilitar a compreensão quanto para não deixar o momento cansativo para eles”, concluiu, destacando que a ação reforça o compromisso da Justiça alagoana em levar cidadania aos jurisdicionados.

Estudantes, entre 12 e 24 anos, tiraram suas dúvidas a respeito do tema durante esta segunda-feira (25)
Estudantes, entre 12 e 24 anos, tiraram suas dúvidas a respeito do tema durante esta segunda-feira (25)

 

De acordo com a servidora do PCJE Ana Valéria Pitta, que representou o coordenador do projeto na ocasião, juiz Hélio Pinheiro Pinto, o tema foi escolhido com base na necessidade da escola. A servidora informou ainda que, ao todo, 24 escolas, sendo 15 do município e nove do estado, serão beneficiadas com as ações do Programa neste ano, graças à parceria firmada entre o Tribunal de Justiça de Alagoas, por meio da Esmal, a Secretaria Municipal de Educação de Maceió (Semed) e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

“No próximo mês, abordaremos a violência e a exploração sexual contra a mulher e também levaremos às escolas palestras sobre eleições, já que este é um ano eleitoral”, adiantou Ana Valéria.

Cronograma desta semana

Mais cinco escolas públicas de Maceió receberão palestras sobre o bullying. Nesta terça-feira (26), às 8h30, será a vez da Escola Estadual Prof.ª Gilvana Ataíde, localizada no bairro Santa Lúcia. Na quarta (27), às 9h, o tema será abordado na Escola Estadual Prof.ª Anaias de Lima Andrade, no Vergel do Lago; e, às 14h30, na Escola Municipal Prof.ª Neide Freitas França. Na quinta-feira (28), às 14h, a palestra será realizada na Escola Municipal João Sampaio, no bairro Jardim Petrópolis. Já na sexta (29), às 8h30, o assunto será discutido na Escola Municipal Prof. Antidio Vieira, no Trapiche.

Temáticas para 2016

Entre os temas que também serão trabalhados com os estudantes, neste ano, estão: “Direitos e deveres dos alunos e professores à luz do Eca e da CF”; “Direitos e deveres fundamentais”; “Eleições: o papel dos partidos políticos no Estado Democrático de Direito brasileiro” e “Mediações de conflitos na comunidade escolar”.

O PCJE faz parte da Coordenação de Projetos Especiais da Esmal, que tem ainda mais dois projetos: Estágio e DNA. Já a Escola Superior da Magistratura é coordenada interinamente pelo desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza.

Gildo Júnior – Dicom TJ/AL