Dicas para driblar a TPM

Mulher sofre com TPM e todos que estão a sua volta

tpm

De acordo com uma pesquisa feita pela Unicamp (Universidade de Campinas), 80% das brasileiras sofrem – e muito – com os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM).

As alterações deste período, que começam no meio do ciclo menstrual e desaparecem com a chegada da menstruação, são diversas e entre os sintomas que mais perturbam as mulheresestão: alteração de humor, inchaço, dores nas pernas, cólicas, cefaleia, ganho de peso, insônia, irritabilidade e claro, os sentimentos à flor da pele.

Quando era jovem ninguém falava em tensão pré-menstrual. Claro que ela existia, mas este termo nunca havia sido citado. Ou os médicos não se atentavam para o fato ou ainda estavam em fase de estudos e pesquisas. As variações de humor da mulher eram tratadas como desequilíbrio, histeria, etc. O que mais se ouvia era “você está muito chata”, “está nervosinha hoje”, etc.

Lembro até hoje quando surgiu na mídia, pela primeira vez, uma matéria falando da Tensão Pré-menstrual, apelidada gentilmente de TPM. Foi uma revolução. Um alívio para as mulheres que sofriam do problema, algumas com mais intensidade e outras de forma mais branda, mas a partir daquele momento deixaram de ser taxadas de desequilibradas. Por outro lado, no mundo machista que vivemos, tivemos que ouvir por parte dos homens que aquilo era desculpa para o mau humor, implicância e chatice das mulheres.

Porém, depois de décadas, o tema já foi tão estudado que todos aceitam e entendem plenamente que uma alteração hormonal natural e inevitável. Infelizmente, em alguns casos as alterações de comportamento afetam até no trabalho. Já existem empresas que adotaram a licença menstrual. Uma organização britânica criou o projeto, que busca tornar este período menos sofrido para as colaboradoras e formar um ambiente de trabalho com o maior bem-estar possível, além de diminuir o estresse e aumentar a produtividade.

A ginecologista paulista Maria Elisa Noriler dá sete dicas para aliviar a TPM e evitar que o período interfira no trabalho e relacionamentos. Confira:

  1. Procure consumir castanhas, mel, soja, damasco seco e grão-de-bico. Esses alimentos proporcionam o aumento da produção de serotonina, hormônio que tende a diminuir durante a metade do ciclo menstrual, capaz de gerar bem-estar e prazer;
  2. Sintomas como a irritabilidade, nervosismo, depressão e crises de choro, comuns nesse período, são causados pelas baixas taxas de vitamina B6 e cálcio no organismo, que diminuem naturalmente na TPM. Por isso, aposte em alimentos que contenham esses nutrientes. Salmão e bife de fígado são ótimas opções para potencializar as taxas de vitamina B6;
  3. Evite tratar de assuntos polêmicos com seus colegas de trabalho durante os dias de tensão. Se puder, prefira conversar sobre questões importantes quando você estiver com um ótimo humor e aberta para dialogar. Quanto menos estresse, melhor;
  4. A famosa vontade de devorar chocolate é normal, e acontece devido a ausência de magnésio nas células. Não há nenhum problema em consumir essa guloseima, na verdade, faz bem. Isso porque o cacau, presente na composição do doce, é rico nesse nutriente. No entanto, prefira o chocolate amargo, que é mais concentrado e menos gorduroso;
  5. Foque nas atividades físicas. Exercícios físicos ajudam a diminuir as cólicas menstruais e também melhoram muito o humor, já que aumentam a liberação de endorfina;
  6. Evite o excesso de sódio. Presente no sal e em muitos alimentos industrializados, o sódio favorece o inchaço e a irritação, sintomas muito comuns da TPM;
  7. Evite ao máximo os cigarros. De acordo com um estudo feito pela Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, mulheres fumantes sofrem duas vezes mais com as tensões pré-menstruais.

“Quando a TPM se torna algo muito difícil de controlar e acaba influenciando na vida pessoal e profissional, é preciso procurar a ajuda de um especialista. Afinal, o ciclo menstrual faz parte de ser mulher e saber lidar com este momento é essencial para uma vida saudável”, finaliza Maria Elisa.

isabelateixeiradacosta.com.br

13/07/16