Comício no velório assusta Augusto de Franco: “Só um psicopata teria coragem de fazer o que Lula fez ”

O ex-presidente Lula discursa durante o velório de Marisa Letícia

Augusto de Franco é um escritor, palestrante e consultor que atuou por 20 anos com programas de desenvolvimento local por meio do investimento em capital social. Ele fundou em 2008 a Escola-de-Redes: uma rede de pessoas dedicadas à investigação sobre redes sociais e à criação e transferência de tecnologias de netweaving (hoje com cerca de 11.600 pessoas conectadas).

Em seu Facebook, ele postou, sobre o apavorante fato de Lula ter usado o velório de sua esposa como palanque: “Só um psicopata teria coragem de fazer o que Lula fez hoje. Instrumentalizar a morte da própria mulher para a luta política. É pavoroso.”

Ao que parece, inicialmente a tática petista era de que Lula não falasse nada, até para não passar a imagem de desumanidade ao público. Daí vários outros petistas iriam politizar a morte de Marisa. Mas Lula parece ter cedido ao impulso e tentou aproveitar a morte de Marisa para discursar contra a Lava Jato. O efeito tem sido extremamente negativo para o ex-presidente, que agora pode ficar estigmatizado como aquele que até politizou a morte da mulher.

Análises sobre sua possível psicopatia tendem a surgir, como no caso da abordagem de Augusto de Franco.

Jornal Livre