Benedito Bentes é o bairro mais violento de Maceió, revela Seprev

103755_ext_arquivo

O Benedito Bentes é o lugar com o maior número de homicídios em Maceió, segundo levantamento feito pela Secretaria de Prevenção à Violência em Alagoas (Seprev-AL) com dados de 2015.

Os dados da Seprev, divulgados à imprensa nesta quarta-feira (12), mostram que no Benedito Bentes foram registrados 57 homicídios em 2015. No ano anterior, ele também liderou o número de crimes violentos, com 84 casos.

O bairro ficou à frente da Cidade Universitária, que teve 54 ocorrências deste tipo, e do Jacintinho, com 49 casos. Completam a lista dos 5 bairros mais violentos da capital o Clima Bom, com 39 homicídios, e o Tabuleiro, com 23.

No acumulado, somando os levantamentos de 2012 a 2015, o bairro do Jacitinho aparece como o mais violento, com 310 homicídios. Em seguida vem o Benedito Bentes, com 292 casos, Cidade Universitária, com 287, Tabuleiro, com 203 e Clima Bom, com 175 crimes.

O comitê

 Os dados foram apresentados à imprensa antes da primeira reunião do Comitê Gestor para a Implantação da Política de Prevenção à Violência, realizada na tarde desta quarta, no palácio do Governo, no centro de Maceió. Números de outros municípios não foram divulgados.

O encontro reuniu autoridades como o secretário geral do Gabinete Civil, Fábio Farias, o secretário da Seprev, Jardel Aderico, e o secretário da Segurança Pública, coronel Lima Junior. O presidente do comitê, governador Renan filho (PMDB), não pôde comparecer.

Na ocasião, os membros do comitê fizeram um apelo para que cada integrante trabalhe para reduzir ocorrências nas maiores áreas de risco em Maceió.

Para o secretário Jardel Aderico, os membros do comitê vão apresentar medidas que podem servir de estratégia para solucionar a violência.

“O comitê serve para integrar ações de todas as secretarias para criar programas para essas localidades. É feito um diagnóstico, e depois de identificadas as causas que provocam a violência, buscaremos recursos e ações necessárias para acabar com ela. Precisamos virar a página romântica para a página real. Precisamos pensar numa cultura de prevenção e para isso, é preciso que funcione a entranhem do governo”, disse Aderico.

Criado a partir de um decreto governamental em novembro de 2015, o comitê define diretrizes para implementação da política de prevenção à violência no estado. Segundo o decreto, são 18 membros atuantes, incluindo o governador e vários secretários estaduais.

“Nós precisamos da inteligência, da participação de todos vocês. Isso não é um programa da Seprev, é um programa de governo”, disse Fábio Farias aos demais integrantes da mesa.

alagoastempo.com.br

12/07/16