Paulo Ricardo alfineta shows do RPM sem ele: ‘Uma pena para quem acha que estarei lá’

Demorou, mas aconteceu. Após muita insistência, Paulo Ricardo cedeu aos apelos dos fãs nostálgicos e, neste sábado, ele mergulha no passado com a estreia da turnê “Rádio pirata — 35 anos”, no Imperator, onde apresenta, sem alterações, o espetáculo dirigido por Ney Matogrosso em 1985.

— Foi um pedido do público reproduzir aquele momento mágico exatamente como antes. Por isso, teremos até os canhões de raio laser — detalha o artista. O figurino, porém, não será igual ao de antigamente: — Só não usarei corte mullet nem ombreiras (risos).

O repertório, claro, será recheado de sucessos do RPM. Os ex-companheiros da banda, no entanto, não estarão ao seu lado. Desde o início do ano, Paulo briga judicialmente para impedir o uso do nome do conjunto, que se apresenta com o vocalista Dioy Pallone, diz o Extra.

— Fico triste com a situação, mas sinto muito, principalmente, por quem vê o anúncio do show deles e acha que eu vou estar lá — lamenta.

Apesar das animosidades, a vida segue para Paulo. Aos 56 anos, o astro dos anos 80 ainda é sucesso entre as fãs do sexo feminino.

— Escuto o tempo inteiro que fui o crush da adolescência de alguém — conta ele, compartilhando ainda seus segredos para não aparentar sua verdadeira idade:

— Oitenta por cento é genética. De resto, são cuidados com a alimentação. É preciso disciplina e, confesso, eu não sou lá o cara mais regrado.

05/09/2019