José Dirceu volta à prisão por determinação da Justiça

Em mais uma sequência de idas e vindas, o ex-ministro José Dirceu retornou à prisão nesta sexta-feira (17/5), por volta das 21h30. Ele deveria se apresentar na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba até as 16h, mas, segundo sua defesa, ele enfrentou congestionamentos no trajeto de carro desde Brasília.

O retorno do petista à detenção cumpre decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) desta quinta-feira, 16, que negou um recurso da defesa na segunda condenação dele no âmbito do Operação Lava Jato.

O colegiado determinou também que a primeira instância prosseguisse com um ofício para cumprimento da pena, o que foi determinado algumas horas depois pelo juiz federal Luiz Antônio Bonat.

Dirceu estava em liberdade deste junho de 2018, quando a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu um recurso de sua defesa.

Mas, antes, ele havia ficado preso de agosto de 2015 a maio de 2017; e entre maio de 2018 e junho de 2018, informa o MSN.

Na segunda condenação, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, a dosimetria atual da pena é de 8 anos e 10 meses de prisão.

Dirceu nega ter cometido crimes, conforme reafirmou em dezembro de 2018 em entrevista à BBC News Brasil: “Nem fiz lavagem de dinheiro e nem fiz corrupção”.

Ex-homem forte do governo Lula (2003-2010), Dirceu chegou a ser um dos símbolos do PT. Iniciou sua vida política como integrante do movimento estudantil. Após ser exilado pela ditadura, voltou ao Brasil e passou a viver na clandestinidade. Com a Lei da Anistia, em 1979, voltou à legalidade e participou da criação do partido.

18/05/2019